quarta-feira, 6 de junho de 2007

O sistema feudal brasileiro.


Na sociedade feudal basicamente temos a seguinte realidade, os senhores feudais forneciam terras para pessoas que não tinham aonde viver. As pessoas trabalhavam e forneciam grande parte do que produziam para o senhor feudal. Para produzir precisavam utilizar os equipamentos que apenas um senhor feudal obtinha, assim os trocavam por mais quantidades de alimento, como forma de pagamento.

Um governo tem como responsabilidade primordial estabelecer um padrão de vida descente para seu povo, ou seja, garantir os cuidados mínimos necessários para se viver: saúde, educação, bem estar, etc.

Hoje no Brasil, trabalhamos cerca de 8 ~ 10 horas por dia para um agente econômico (família, empresa, governo ou resto do mundo). O governo brasileiro arrecada cerca de 56% da sua renda, esse dinheiro arrecadado quase nunca é voltado para os próprios cidadãos, eles são investidos no sistema que eu chamo de "balança desonesta", uma cidade como São Paulo gera uma renda para o governo gigantesca, porém 70% deste dinheiro é investido nas regiões norte/nordeste do país, o problema é que nem lá este dinheiro chega, ele para na região centro-oeste, ou mais especificamente, Brasília.

A mania do governo brasileiro que cobra muito, faz pouco e quer investir naqueles que não produzem nada, para "compensar", só torna nossa economia burra e sem avanços, um país grande como o nosso, com impostos tão altos... pare e pense o tanto de arrecadações que ele não consegue?

Somos praticamente escravos de um governo que não faz nada por nós, principalmente para classe média a que mais é afetada, os pobres recebem bolsa qualquer coisa e alguns benefícios, os ricos recebem inúmeros benefícios "fiscais" do governo. É, ta complicada a situação.

Aviso: Procuro senhor feudal.

Felippe Fiori dos S. F. de Aquino

5 comentários:

André disse...

O dinheiro vem para Brasília, mas eu mesmo, nem vejo a cor!!
huahuahuahuahuahau
E é por essas e outras que não tenho a menor vontade de continuar nessa pocilga tupiniquim (que tem suas qualidades, claro!).
Abração!

R Lima disse...

A classe média é a mais prejudicada.. aja tantas bolsas familia.. para tanto comodismo..




[ http://oavessodavida.blogspot.com/ ]

O AveSSo dA ViDa - um blog onde os relatos são fictícios e, por vezes, bem reais...

Rafael Mauricio Menshhein disse...

Existem certos momentos em que a ignorância pode ser uma bênção para algumas pessoas, mas quem consegue pensar um pouco sabe que o maior prejudicado é exatamente quem estuda e paga seus impostos em dia.

Diego Moretto disse...

Dae brother!
Realmente é bem desonesta esta balança que o governo faz com os impostos que suamos pra pagar. A insistência de se investir em projetos iluditórios, que só fazem pobres continuarem sempre pobres, é absurda. Assim, tbm procuro um sr. feudal, hehehe.

Seu blog recebeu minha indicação como um dos cinco melhores em um tema propsto pelo Blog dos Toamtes. Dá uma lida no meu blog que tem um post só falando disso. abs!

Losfer disse...

Para mudar essa situação, somente mudando os governantes. Porém, vivemos numa democracia, e a maioria escolheu as bolsas-esmola. A maioria escolheu o populismo barato. Acontece que a maioria no Brasil não é classe média, não lê jornal, mal assiste à TV. A maioria é pobre.

Para mudar isso só mudando a educação, aumentando as chances desse miseráveis entrarem no mercado de trabalho. Poderem ler e se informar. Porém, isso interessa aos governantes?

O destino da classe média neste país é pagar impostos mesmo, é sustentar uma massa de desprovidos de tudo, não só no nordeste, mas em todo o país, pois existem miseráveis em todas as cidades.

No curto prazo, é melhor pegar um avião e ir morar em outro lugar, onde valorizem os seus impostos. No longo prazo, é votar melhor, informar e ajudar os miseráveis e incultos que vocÊ conhecer, e, principalmente, protestar quando se sentir lesado, injustiçado.

O que não dá é ficar reclamando sem fazer nada pela mudança !